Fazendeiro, tocando gado e colhendo lavouras, com uma vida toda dedicada ao meio rural, José Naves de Sousa, que ganhou o apelido de Zé Branquinho, por ter uma pele clara, confirma a longevidade na família e chega, no dia 20 deste mês, aos 100 anos de idade. Está com saúde e rodeado pelos familiares: a mulher, Abadia Maria de Jesus, 95 anos, sua prima primeira; nove filhos, quatro noras., dois genros, 18 netos e 14 bisnetos.

“Um ser humano incrível e de um coração enorme”, como destaca a neta Lorena Naves. “Orgulho para toda a família e para todos que o rodeiam”. O seu entusiasmo contagiante é uma lição muito importante. “É fonte de vida, alegria e exemplo para todos”, disse.

Para comemorar essa data especial, a família decidiu reunir os parentes e amigos para uma confraternização no dia anterior, 19, um sábado, no Colégio Isu, em Firminópolis, que fica a 110 km de Goiânia. na região Oeste de Goiás. A cidade tem 11.603 habitantes.

Trajetória e família

Goiano de Morrinhos, acompanhando os pais, Antônio Romão Naves e Maria Clara da Luz (Vó Tóia), mineiros de Monte Santo de Minas e igualmente primos primeiros, e seis irmãos, mudou-se inicialmente para Anicuns, GO, onde se casou no dia 22 de janeiro de 1938 com sua prima Abadia. Depois, foram para uma região vizinha, ali se radicando quando o município ainda nem existia, pois Firminópolis foi criada somente em 1948, emancipando-se de Paraúna. Comprou umas terras e com o passar dos anos adquiriu as de seus irmãos, formando em torno de 140 alqueires.

O casal teve 12 filhos, nove estão vivos e a maioria dedicou-se à atividade rural. Única que assina Borges Naves, pois os outros oito são Naves de Sousa, a primogênita, Colandir, é dona de casa; Antônio e Ilton são fazendeiros; Almandino professor aposentado da Universidade Federal de Goiás (UFG); Domingos, médico em São Luiz de Montes Belos; Waldivino é fazendeiro; Coraci, formada em Ciências Sociais pela UFG, trabalhava na Sociedade Cidadão 2000, da Prefeitura de Goiânia, e agora voltou para Firminópolis para cuidar de suas terras; Leonice é contadora em Goiânia; e Lenice é dona de casa.

Honestidade e verdade

Muito trabalhador, pautando sua vida tendo como princípios a honestidade e a verdade, Zé Branquinho granjeou a amizade dos vizinhos e da comunidade, sempre solidário com o próximo. Ao seu lado, em todos os momentos, a sua querida Abadia, com quem dividia as tarefas: ele cuidava do gado e das roças, e ela se dedicando aos filhos e às atividades da casa. É tratado, carinhosamente, pelos netos e bisnetos, como “Pai Vei“.

Há 22 anos, já cansado de lidar com a terra e a dificuldade em arranjar peões para as atividades diárias na fazenda, decidiu dividi-la entre os nove filhos, mas com seu usufruto. “E assim, cheio de vida, saúde e felicidade”, como enfatizam os mais próximos, Zé Branquinho chega aos 100 anos.

Dos parentes que se radicaram na cidade, um primo, Vitoriano Borges Naves, foi um dos primeiros prefeitos e deu seu nome a uma das principais ruas de Firminópolis, justamente na qual mora Zé Branquinho.

4 thoughts on “José Naves de Sousa, 100 anos

  1. Minha mãe era nascida em Monte Santo de Minas, se chamava Alzira Naves de Souza (faleceu dia 22 de julho de 2.015), o pai dela se chamava João Naves e a Mãe dela Dorcinda Naves (todos falecidos), com certeza, somos parentes. Parabéns pelo centenário de vida.

  2. E com o maior prazer e honra que carrego esse sobrenome Naves de Souza sou neto de Jose Naves de Souza e Abadia Maria de Jesus. Filho de Antonio Naves de Souza e Maria Pires Correia de Souza. Resido em Firminópolis, Goiás. Sou casado com Elivania Moreira Naves e tenho duas filhas Danielly Naves Moreira e Karoline Naves.

    1. Olá, somos xará de sobrenome, NAVES DE SOUZA. Sou filho de Eginaldo Gomes de Souza e de Alzira Naves de Souza, por essa junção de sobrenomes acabamos xará nos dois sobrenomes. A título de referência sou primo do Padre Luiz Miguel Duarte Naves, ele sempre nos dá noticias dos parentes. Compartilho da mesma satisfação sua em carregar esse sobrenome, razão pelo qual fiz questão em colocar no meu filho e na minha esposa. Agradeço a Deus o presente de vida de ser filho de duas pessoas maravilhosas, que infelizmente uma já se foi, dia 22 de julho de 2015 pedi minha mãe. Sou Eng Mecânico, trabalho na área de Projeto de Máquinas, tbm sou casado com Andreza Staiger Andreo Naves de Souza, tenho um filho Vitor Andreo Naves de Souza. Minha mãe era natural de Monte Santo de Minas-MG, terra bacana, alegre, simples e hospitaleira onde ainda temos parentes. A Tia Maura e os primos Joãozinho e Toninho. Sou neto de João Naves e Dorcinda Duarte Naves (já falecidos), que conversando com minha irmã Silvia Naves de Souza, achamos que tem grande chances de: o meu avô ser irmão do seu avô o Sr. José Naves, quem poderia tirar essa dúvida, infelizmente já faleceu, que seria meu Tio Geraldo Duarte Naves (pai do Padre Luiz). Aproveito a oportunidade para parabenizar seu avô por um século de vida e nesse aniversario não economiza beijos, abraços e carinhos. Sei na pele a falta que faz .

  3. BOM DIA A TODOS .
    MEU NOME É IEDA MARIA NAVES SOU FILHA DE ERNANI NAVES DE REZENDE E LEONIDES GAZZONI NAVES. MEU PAI NASCEU EM BOA ESPERANÇA MG. HOJE MORO EM SÃO JOSÉ DOS PINHAIS , REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA. TENHO 3 FILHOS . AMANDA NAVES DE LIMA. ANDRÉ FELIPE NAVES DE LIMA E RENATO NAVES DE LIMA . TENHO TAMBÉM 2 NETAS , JULIA MARIANA FERRAZ DE LIMA E LAURA NAVES MAYER.
    QUERO DESTACAR QUE TENHO MUITO ORGULHO POR SER MEMBRO DA FAMILIA NAVES.
    DEIXO AQUI MEU ABRAÇO A TODOS OS NAVES E UM ABRAÇO CARINHOSO AO ZÉ BRANQUINHO PELO CENTENARIO. QUE DEUS O ABENÇOE SEMPRE.

Deixe uma resposta

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.