fachada_credipar_1024x768Única no Tocantins filiada ao Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob), com uma trajetória já reconhecida e aplaudida pelos tocantinenses, a Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Paraíso do Tocantins e Região Ltda. (Sicoob Credipar) ocupa seu espaço no Estado de forma progressiva e eficiente. Fundada em 1991 para movimentar o capital dos 25 agropecuaristas que integravam a então Cooperativa de Produtores Rurais do Vale do Norte Ltda. (Coopernorte), começou suas atividades com apenas três empregados. Já tem Postos de Atendimento (PA) em 11 cidades, a opção pela livre admissão em 2010 deu maior projeção ao seu trabalho e se consolida como uma das principais instituições financeiras cooperativas na região.

A ideia de criar uma Cooperativa de Crédito surgiu do exemplo que vinha de outros estados e logo chamou a atenção dos produtores rurais da região. Eles se reuniram, passaram a discuti-la, acharam a proposta oportuna e indicaram ao então presidente Lairson Lopes que organizasse um grupo para visitar instituições financeiras cooperativas que já funcionavam em São Paulo e Minas Gerais.

Os agropecuaristas sentiam a falta de maior apoio na área financeira; existia apenas uma agência do Banco do Brasil e por isso decidiram criar, no dia 12 de março de 1991, na sede da Coopernorte, a Cooperativa de Crédito Rural de Paraíso do Tocantins Ltda., com a sigla Credipar. Vinte e cinco assinaram a ata como fundadores. O Banco Central demorou seis meses para liberar a autorização para funcionamento. A nova instituição financeira contou com o apoio da Cooperativa mais antiga, que cedeu espaços e alguns equipamentos necessários, viabilizando as primeiras iniciativas e as primeiras adesões.

A Cooperativa cresceu e logo teve que sair do armazém para se instalar em frente à Câmara Municipal. Em programa com o Governo do Estado, de compra de gado para pagamento com leite, a Cooperativa de Crédito mostrou o seu papel no desenvolvimento econômico do município: começou com 500 litros e por meio das facilidades de acesso ao crédito cooperativo impulsionou a bacia leiteira da região. A Coopernorte, que chegou a receber 30 mil litros de leite/dia, processava toda a sua capacidade de produção. A Credipar mostrou também o seu diferencial: as taxas e juros menores deram impulso na economia como um todo e possibilitaram aos cooperados serem donos do seu próprio banco.

A Diretoria que assumiu em seguida representou um retrocesso, com vários problemas, desfalques e processos instaurados.

Com novos objetivos e arregaçando as mangas, os dirigentes que assumiram em 1998 buscaram recuperar o tempo perdido, reorganizar a casa e em 1999 tomou duas iniciativas ousadas e importantes: começou a ocupar espaços na região, com a instalação dos primeiros Postos de Atendimento (PA), para buscar mais recursos financeiros e apoio para fortalecer o trabalho em Paraíso, e se filiou à Cooperativa Central de Crédito de Goiás, em novembro. Essa integração foi uma das decisões fundamentais na retomada da Credipar, a partir de quando resolveu questões como fornecimento de talão de cheque ao cooperado, compensação de cheques, suporte financeiro, acesso ao Crédito Rural, cursos de capacitação e assessoria em vários assuntos. Essa vinculação permitiu manter taxas de juros menores, quando os valores no mercado financeiro eram altos, e oferecer os recursos no momento em que o produtor rural precisava.

O primeiro PA foi inaugurado em janeiro de 1999 em Barrolândia, um município pequeno, com pouco mais de quatro mil habitantes, que não contava com agência bancária. O segundo, em 2000, foi instalado em Pium, que igualmente não tinha agência bancária.

2002 marcou a história da Credipar e dos seus cooperados com a inauguração, no dia 12 de março, da sede própria em Paraíso do Tocantins, deixando os espaços alugados. Passou a contar com maior área física para acomodar o quadro funcional, que estava crescendo; representou a consolidação do trabalho que realizava, pois havia críticas ao fato de não ter seu próprio espaço; e aumentou a confiança dos cooperados na instituição, inclusive quanto à filiação de novos cooperados.

Marianópolis do Tocantins, um município novo e pequeno, que não contava com agência bancária, foi agraciado em 2014 com o terceiro PA.

Um sistema que tem mostrado a aceitação da Cooperativa, a forma aberta como apresenta seus resultados e busca novos cooperados, a convivência social que possibilita e o envolvimento da comunidade, reafirmando sua credibilidade, é a Premicap Capitalização Premiada, Reúne ooperados, que adquirem os 500 títulos ofertados, pagos em 12 meses. É uma festa que dura o dia todo, com som ao vivo, almoço, bebidas e refrigerantes embutidos no custo, e que já se tornou uma tradição, nesses 12 anos em que foi realizada. A partir de agora a festa será apenas para aqueles que adquirirem os títulos.

Dois anos depois foram instalados mais dois PAs: Miranorte e Divinópolis, ambas as cidades servidas por agências do Banco do Brasil; e Miranorte também pelo Banco da Amazônia.

Um fato de grande expressão foi a implantação, em 2006, da marca Sicoob, dando maior visibilidade ao sistema, que ficou mais fortalecido e passou a oferecer novos produtos e serviços e ganhos em escala. A Cooperativa adotou a sua nova sigla: Sicoob Credipar.

Gilberto Moraes

Em 2007 houve eleições, quando assumiu a nova direção, tendo na presidência o veterinário Gilberto Moraes. Ele trabalhou na Coopernorte de 1993 a 2000, quando teve forte presença no meio rural e passou a conhecer o sistema cooperativista e suas possibilidades.

O sexto PA foi inaugurado em 2008 em Dois Irmãos do Tocantins, que não contava com agência bancária. Cristalândia ganhou-o em 2009.

Uma nova e expressiva mudança aconteceu no dia 31 de maio de 2010, quando a Cooperativa foi autorizada pelo Banco Central a operar em regime de livre admissão. Com a decisão, o Sicoob Credipar, que antes era de acesso exclusivo dos produtores rurais, passou a receber em seu quadro social todos os interessados: profissionais de diferentes ramos de atuação, empresas e associações. Na época, uma grande dificuldade para os produtores rurais acontecia na entressafra, quando a movimentação financeira caía muito, e a livre adesão acabou com essa sazonalidade. Aumentou a liquidez, a oferta de recursos e de serviços ao quadro social. Alterou a sua denominação, que passou a Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Paraíso do Tocantins e Região Ltda., mantendo a sigla.

A primeira incorporação foi em 2011, que permitiu à Credipar abrir o seu oitavo PA e chegar à Capital, Palmas. Depois de estudos, debates e reuniões, a Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do Tocantins Ltda. (Sicoob Meio Norte), fundada em janeiro de 2008 e com 254 cooperados, optou por unir-se à Credipar. Na época, chegou a discutir a sua vinculação a uma Cooperativa de Crédito de Goiânia; os técnicos do Banco Central do Brasil recomendaram como melhor alternativa o Sicoob Credipar, já bem estruturada, vizinha e com condições de prestar um bom serviço na área financeira ao seu quadro social. Com a incorporação, ampliou para 1.788 associados, seu Patrimônio Líquido para R$ 1,25 milhão e o capital social para R$ 1,1 milhão.

Terceira maior cidade do Tocantins, Gurupi ganhou o PA em 2012. No primeiro dia recebeu a adesão de 73 novos cooperados. A conta corrente nº 1 na cidade é da Cooperativa dos Produtores de Carnes e Derivados de Gurupi (Cooperfrigu), tendo o seu presidente, Oswaldo Stival, ressaltado que a chegada do Sicoob Credipar representava o fortalecimento do Cooperativismo no sul do Estado.

A população de Paraíso do Tocantins se alarmou em 2013 com a gripe influenza H1N1, devido a uma morte supostamente provocada pela doença, o que levou o Sicoob Credipar a buscar uma forma de proteger seus colaboradores, cooperados e familiares. A imunização se dá por vacina, cuja unidade custava no mercado tocantinense de R$ 80,00 a R$ 200,00. Na procura por alternativas, a Diretoria conseguiu o produto, numa primeira negociação, a R$ 35,00, com a vacina sendo repassada a R$ 40,00; a diferença de R$ 5,00 cobriu os custos operacionais dessa ação preventiva. Ato contínuo, a Associação Comercial e Industrial de Paraíso também se interessou em proteger seus colaboradores, associados e pessoas ligados a eles, avolumando a demanda e o respectivo poder de barganha com o fornecedor mineiro. Na nova negociação o imunizante foi adquirido por R$ 25,00 e repassado aos interessados ligados à ACIP por R$ 40,00.

As duas organizações assumiram uma tarefa do Poder Público, de prover saúde à população, vacinaram 3.500 pessoas e ainda tiveram um saldo financeiro positivo de R$ 80 mil. Nesse importante trabalho social em torno de R$ 140 mil deixaram de sair da economia local e ainda mostrou que, com a união da sociedade, é possível se organizar para combater novas ameaças à população.

Na Assembleia de 2014, com a implantação do novo modelo de governança, assumiu a presidência do Conselho de Administração o cooperado Francisco de Assis Filho; Gilberto Alves Moraes continuou como diretor presidente da Cooperativa, com mandato até 2018.

Nesse ano foi a vez da segunda maior cidade tocantinense, Araguaína, com várias agências bancárias, ganhar o PA.

As mudanças que aconteceram nos últimos anos permitiram ao Sicoob Credipar ampliar o seu quadro social, que chegou a 4.336 cooperados em 2015; conquistar a sua estabilidade econômico-financeira e crescer rapidamente. Saiu da 21ª posição, entre 28 filiadas da Central de Goiás, para o 10º lugar, com perspectivas de aumentar, a cada ano, 1.000 novos cooperados. Os juros, na faixa dos 1,70% ao mês, permitem à Cooperativa atender bem o seu quadro social, mostrando o seu diferencial em relação aos bancos convencionais, e ainda assim gera um resultado operacional de R$ 470 mil por mês, que mantém o Sicoob Credipar e amplia suas atividades. A Carteira de Crédito movimenta R$ 80 milhões e o Crédito Rural em torno de R$ 20 milhões.

Nos planos, construir a nova sede própria, diante do crescimento dos produtos e serviços da Cooperativa e do seu quadro funcional, já com 85 empregados; instalar os PAs de Porto Nacional em 2016; e o de Fátima em 2017; e buscar uma alternativa ao sistema representativo, para possibilitar a participação dos cooperados dos municípios onde atua nas Assembleias Gerais.

A Cooperativa utiliza os recursos do Fundo de Assistência Técnica, Educacional e Social (Fates) para oferecer aos seus cooperados e familiares 60 bolsas universitária, de R$ 150,00, para ajudar no custeio das despesas dos acadêmicos, realizando sorteios semanais e investindo no ano em torno de R$ 108.000,00. Oferece ainda auxílio natalidade no valor de R$ 700,00 em caso de nascimento de filho(a) de cooperado e auxílio funeral no valor de R$ 1.200,00 em caso de falecimento de cooperado e cônjuge, para ajudar a família nas despesas.

Cumprindo com o princípio de interesse pela comunidade, o Sicoob Credipar ajuda mensalmente instituições filantrópicas da cidade. Como exemplo, a casa de recuperação de dependentes químicos Jovens de Valor, que recebe R$ 1.000,00 mensais, e a APAE Paraíso, R$ 500,00 mensais, para manter o suprimento do seu consultório odontológico.

Bibliografias

Folha do Bico“, de Araguatins, TO, dia 25.11.2011, veículo eletrônico.
Informativo Sicoob Credipar“, boletim enviado aos cooperados e na internet, edição nº 01, referente a jan/fev/mar de 2012.
Informativo Sicoob Credipar“, boletim enviado aos cooperados e na internet, edição nº 32, referente a mar/abr/mai de 2013.
Revista Sicoob Credipar“, enviada aos cooperados e na internet, edição inaugural, nº 01, abril de 2014.
Revista Sicoob Credipar“, enviada aos cooperados e na internet, edição de 2015.
Surgiu“, de Paraíso do Tocantins, dia 2.12.2011, veículo eletrônio.

Entrevistas

Lairson Lopes, 1º presidente do Sicoob Credipar, 1991/1994
José Gerado de Melo Oliveira, presidente do Sicoob Credipar, 1998/2006
Gilberto Alves Moraes, presidente do Sicoob Credipar, 2007/2016

Deixe uma resposta

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.