Na agenda, homenagem aos pioneiros, debate sobre mudanças estruturais no Jornalismo e lançamento da nova edição de livro sobre imprensa goiana

A segunda turma do Curso de Jornalismo da Universidade Federal de Goiás (1969-1972) vai promover no dia 27 deste mês, a partir das 9h, no auditório da Faculdade de Informação e Comunicação da UFG, no Campus Samambaia, três eventos para comemorar os 45 anos de formatura: homenagem aos pioneiros na criação do Curso; palestra/debate sobre tema da atualidade; e lançamento da segunda edição do livro “Contribuição à História da Imprensa Goiana”, de José Lobo, de 1949.

A iniciativa tem o apoio da Universidade Federal de Goiás, por sua Faculdade de Informação e Comunicação (FIC), da Associação Goiana de Imprensa (AGI) e do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás.

“Foi uma turma que se sobressaiu, pelas lutas que empreendeu, diante da falta de condições estruturais, como laboratórios, acervo bibliográfico e professores com formação específica, e pelas suas conquistas, como a criação do Centro de Estudos de Comunicação no âmbito da UFG, que teve a ousadia e a determinação de realizar o I Encontro Nacional de Estudantes de Comunicação, enfrentando todos os riscos naqueles tempos sombrios”, lembra o jornalista Jales Naves, que idealizou as comemorações e coordena as iniciativas. Ele foi o primeiro presidente do CEC e coordenou o ‘Encontrão’, realizado de 1º a 4 de novembro de 1972, em Goiânia.

Dos 10 alunos que concluíram o Curso – Jales Rodrigues Naves, Laurenice Costa Noleto Alves, Leila Daher, Manoel Juraci Souza Mota, Maria Batista Cordeiro, Maria Olímpio dos Santos, Marta Cardoso, Modesto Lopes dos Santos, Neila Castelo Branco Figueiredo e Teresa Cristina de Morais Lobo Garcia – um faleceu, Modesto, aos 65 anos, em 2011, e eles não conseguíram encontrar Maria Olímpio.

A programação constará de homenagem aos pioneiros: jornalistas José Osório Naves, que na época presidia o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás, e Walter Menezes, então presidente da Associação Goiana de Imprensa (AGI), pela luta para criar o Curso; a professora Lena Castello Branco Ferreira Freitas, que dirigia o Instituto de Ciências Humanas e Letras da UFG, acolheu e implantou o Curso; os professores de seu período e os alunos da primeira turma. No segundo momento, palestra sobre mudanças estruturais no Jornalismo e sua relação com as redes sociais, a ser proferida pela professora doutora Nélia Del Bianco, da UFG. E, na terceira parte, o resgate de uma obra histórica e pouco conhecida nos meios acadêmico e jornalístico.

Deixe uma resposta

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.