Solenidade no Ginásio Estadual de Campinas, em 1952

Solenidade no Ginásio Estadual de Campinas, em 1952

Os jovens que tiveram o privilégio de estudar no Colégio Estadual ‘Professor Pedro Gomes’, símbolo da educação de qualidade em Goiás, nos anos 1960 e 1970, agora idosos, estão se unindo para resgatar a história e a contribuição desse estabelecimento de ensino em suas vidas e na sociedade. Pretendem que o Estado retome o projeto original ou dê uma destinação de idêntico significado ao que tiveram em sua formação. O grupo, que se denomina ‘Somos Pedro Gomes’, tem discutido o papel que a escola representou para eles e busca alternativas para sua revalorização.

Em suas atividades, o grupo criou uma Medalha do Mérito, que será concedida às pessoas que, direta ou indiretamente, contribuíram para o sucesso do ‘Pedro Gomes’, e vai fazer as primeiras homenagens. Programou para esta quinta-feira, dia 20, às 19h30, no Serendipity Comer e Beber, que fica na Avenida T-3 nº 1733 (entre as Avenidas T-8 e T-9), no Setor Bueno, uma reunião para prestar as primeiras 12 homenagens, escolhidas e aprovadas em votação pelos seus integrantes.

História

O colégio está completando, neste ano, 70 anos de sua criação, por iniciativa do então secretário de Educação e Saúde do Estado, médico Hélio Seixo de Brito. Um dos fundadores e militante ativo da oposição em Goiás, representada pela União Democrática Nacional (UDN), partido que presidiu em nível estadual, ele ocupou funções de relevância. Uma das mais expressivas foi essa Secretaria no Governo de Jerônimo Coimbra Bueno (1947-1950), que depois desmembrou em duas, sendo responsável pela transformação, ampliação e renovação da instrução pública no Estado. Em 1948, quando Secretário de Educação, reestruturou o ensino, criando três colégios – um na cidade de Goiás, para compensar a retirada do Liceu da antiga Capital, outro em Goiânia e o terceiro no bairro que originou a Capital e era o mais populoso.

A instalação do Ginásio Estadual de Campinas, como explicou no livro “Cidadão e homem público”, coletânea de artigos e depoimentos organizada pelo filho Hélio Seixo de Brito Júnior, foi uma festa “das mais gratificantes, pois era a nossa resposta aos apaixonados adversários políticos, que não desejavam o meu sucesso na importante Secretaria da Educação. Para eles – demagogicamente – Campinas não comportava um estabelecimento de ensino daquele porte. A resposta está aí no tamanho do Colégio ‘Pedro Gomes’ e no benefício enorme que vem fazendo. É a prova de que estávamos certos e, por isso, o meu silêncio às críticas desonestas e insinceras”, afirmou no livro, lançado em 1999, comemorando os seus 90 anos de idade.

Monumento em homenagem a dona Lígia Rebelo, trabalho do professor Peclat, de 'Desenho Geométrico'

Monumento em homenagem a dona Lígia Rebelo, trabalho do professor Peclat, de ‘Desenho Geométrico’

Valorização

O grupo, de acordo com o coordenador Wander Arantes, dando sequência às suas atividades, quer reconhecer o importante papel que essa escola cumpriu ao longo de seus 70 anos de existência. “Foi uma oportunidade para milhares de homens e mulheres terem uma formação para o exercício da cidadania e como profissionais, ao mesmo tempo em que reafirmava suas responsabilidades perante a sociedade”, afirmou.

“Hoje, quando muitos já completaram seu ciclo de atividades, como cidadãos e como profissionais, consideram que é o momento de resgatar esse papel do ‘Pedro Gomes’, preservá-lo, realçá-lo e reconhecer o trabalho daqueles que, cumprindo suas obrigações, concretizaram essa missão”.

Homenagens

Dos 12 aprovados para serem homenageados, sete já faleceram (médico Hélio de Brito, professores Lígia Rebelo, Mary Yazigi e Modesto Gomes e ex-alunos Raymar Leite, Romualdo Ferreira e Wander Borges, como ainda seu irmão Vanderley Borges, que mesmo não tendo estudado no ‘Pedro Gomes’ fazia parte do ‘Somos Pedro Gomes’, pela afinidade com muitos dos integrantes do grupo) e cinco continuam na ativa (Professores Zizi da Paixão, 91 anos, Horieste Gomes, 85 anos, e Leleza Veiga Lobo, 91 anos, e dois amigos de integrantes do grupo, pela ligação com o Goiânia Tênis Clube, onde foram realizados eventos memoráveis: Perseu Matias, 86 anos, que presidia o clube, e coronel Ademar Ângelo de Rezende, músico).

Os homenageados:

  1. Médico Hélio Seixo de Brito (1909-2003) que, quando Secretário da Educação e Saúde do Estado, no Governo Coimbra Bueno, criou em 1948 o Ginásio Estadual de Campinas, que em 1959 foi transformado em Colégio Estadual ‘Professor Pedro Gomes’;
  2. Professora Lígia Maria Coelho Rebelo (1917-2016), diretora do Ginásio Estadual de Campinas, que o transformou em Colégio Estadual ‘Professor Pedro Gomes’; seus mandatos duraram 12 anos, deixando o cargo no início de 1966;
  3. Professora Maria Conceição da Paixão (Zizi), 91 anos, vice-diretora do Ginásio Estadual de Campinas e depois do Colégio Estadual ‘Professor Pedro Gomes’, sendo empossada diretora no início de 1966, com mandatos que duraram 14 nos;
  4. Professor Horieste Gomes, 85 anos, da disciplina ‘Geografia’, do Colégio Estadual ‘Professor Pedro Gomes’;
  5. Professora Mary José Yazigi (1933-2010), da disciplina ‘História’, do Colégio Estadual ‘Professor Pedro Gomes’;
  6. Professor Modesto Gomes da Silva (1931-2008), do Colégio Estadual ‘Professor Pedro Gomes’;
  7. Professora Terezinha de Alencastro Veiga Lobo (Leleza), 91 anos, da disciplina ‘Geografia’ e coordenadora do Colégio Estadual ‘Professor Pedro Gomes’;
  8. Raymar Leite Santos (1945-2018), aluno do ginasial e do Clássico do Colégio Estadual ‘Professor Pedro Gomes’, tendo tocado bumbo na Banda Marcial ‘Ligia Maria Coelho Rebelo’; faleceu com 73 anos;
  9. Romualdo Luiz Ferreira (1945-2017), aluno do ginasial e do Clássico do Colégio Estadual ‘Professor Pedro Gomes’; faleceu com 71 anos;
  10. Wander Borges da Costa (1945-1965), orador que se destacava nas reuniões do Grêmio Literário ‘Professor Setúbal’ do Colégio Estadual ‘Professor Pedro Gomes’, faleceu com 20 anos; e seu irmão Vanderley Borges da Costa, 76 anos, falecido em 2018;
  11. Perseu Matias (1932), que presidiu o Goiânia Tênis Clube;
  12. Coronel Ademar Ângelo de Rezende, músico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.